BIO

Adriano Escanhuela é artista visual e desenvolve sua pesquisa na modalidade fotográfica explorando práticas híbridas e alquimia, transitando do pré ao pós-fotográfico. Investe na experiência estética, em detrimento da técnica, por meio de um aprendizado artesanal e sensorial, desacelerado e reflexivo. Resiste a desmaterialização da imagem resgatando processos históricos fotográficos arcaicos, primitivos, pré-industriais devolvendo peso, reconstituindo a carne fotográfica. Aposta no risco, no desvio, na contaminação, preparando seus próprios suportes, químicos e aparatos, transgredindo antigas estruturas, subvertendo assim, as excessivas leis da mecânica e do mercado. Expande os limites do suporte e da linguagem mesclando conceitos porosos propondo outras leituras, de caráter transdisciplinar e dialógico. Ganhador do Prêmio Brasil Fotografia 2017 na categoria Bolsa Desenvolvimento de Projeto com o título "Umidus" mergulha na prática expandida de processos históricos fotográficos do século XIX com o resgate da placa úmida de colódio como estratégia de apreensão de uma nova paisagem.    

Adriano Escanhuela, 1978.

São Paulo, SP.

Brasil.